quinta-feira, 3 de março de 2011




FUNDO DO POÇO
(Fundamentado no poema: Bicho, de Manuel Bandeira)


Meu Deus do céu, eu vi
Com muita dor no coração
Vi um animal cabisbaixo
No meio de um lixão
Não era urubu, nem rato
Não era porco, nem cão...

Pasmem!!!

Vi que o voraz animal
Remexia todo o lixão
E catava entre os detritos
Restos de alimentação
E tudo o que encontrava
ali mesmo devorava
Como fonte de nutrição...

Essa situação deprimente
É o verdadeiro fundo do poço
Isso me causou estranheza
E me provocou alvoroço
Porque o animal do lixão
Era um homem em carne e osso...


AUTOR: Manoel Carlos Alves - São Paulo = Brasil
MEU BLOG: http://inkdesignerstampas.blogspot.com
MINHAS ARTES: www.youtube.com/manoalves2008




















Nenhum comentário:

Postar um comentário