sexta-feira, 25 de junho de 2010

A MERCÊ DO SEU QUERER (ad libitum)










De vento em polpa
Sobre a penumbra da luz do luar...
Brindávamos à vontade
Com vinhos de uma safra especial...
Lá estávamos nós
Eu... O amor... A saudade...

Após um cálice, outro cálice a mais
Imensamente transbordante de desejos
E uma vontade irresistível
De te afagar, te cobrir de beijos
Antes mesmo de me apagar e dormir
Sem ao menos consumir
O último cálice de vinho
Vindo de uma safra especial...

Presunçosamente até esqueço de mim
Porque estou a mercê do seu querer...
Princesa, atropele-se em seu orgulho
E deixe o clima favorecer...
Deixe-me te fazer um cafuné
E me deliciar no seu bel-prazer...

Autor: Manoel Carlos Alves - São Paulo = Brasil
25/06/2010 Para o blog://inkdesignerstampas.blogspot.com

Um comentário:

  1. BELISSIMO..DEUS TE ABENÇÕE AMIGO..HOJE E SEMPRE..
    MTO LINDO POEMA...

    ResponderExcluir